Será que eu consigo começar tudo de novo?

O relacionamento de vocês vai bem. Fazem as coisas juntos, juntinho fazem quase tudo. Um dia ele entrou no banheiro e você fazendo xixi, mas ai você pensou tudo bem, ué. Tudo está ótimo, calmo e sem crises. Um mar para crianças.

 A vida de casado é muito boa. As vantagens de se dividir as coisas e o dia a dia são infinitas e, a vida a dois, uma delícia. Mas às vezes, sem que tenhamos nos dado conta, passamos a abrir várias concessões, interiorizamos gostos que não temos, agimos como se aquilo fosse tudo o que sonhamos um dia… Olhando de perto, talvez não seja. Olhando de longe, talvez estejamos acomodadas.

 Estagnado. Estável. O fato é que quando uma relação está estagnada e permanece assim por um longo tempo, ela corre o risco de retroceder. Voltar para trás mesmo. Cabe a você estabelecer as relações de falta que estão em você.

 Costuma ser muito comum acabar o frio na barriga após alguns anos de relação. O romantismo é assassinado pelo dia a dia. Friamente. E em troca de estabilidade, concedemos. Afinal, passamos bons bocados no começo da relação… Tudo era incerto e isso acaba gerando uma tremenda agonia na gente… Quando passa o tempo, o pensamento é uníssono: por que não aproveitei aquele frio na barriga tão gostoso?

 O ideal? Voltar àquela sensação de começo, de estar apaixonado, e somá-la à segurança que sentimos hoje. Ou, como isso não é possível, viver intensamente as emoções do dia a dia. Mas vem uma série de dúvidas… Será que eu consigo ser romântica e iniciar um processo de retomada de tudo isso? Será que eu quero me dispor a sentir tudo isso novamente?

 Como fazemos quando sentimos o relacionamento esfriar e, mesmo amando, achamos que tudo bem? Pior: que é até bom… Se você é uma pessoa morna e fica tranqüilo, assim. Legal. Mas tenha cuidado porque, às vezes, não rola assim com o parceiro.

 Como fazemos para romper com essa pontinha de trampolim que insiste em nos arremessar para o início da relação? E o que mostra o início das relações, afinal? O que eles nos ensinam? Por que se perdem?

 As questões são difíceis e fáceis de se perder… Mas é importante olhar para dentro de si, fazer uma lista (de papel mesmo) com as coisas que estão boas e as que estão ruins. Honestamente. A lista é apenas para você. Disso tudo, o que você consegue e quer mudar? O que não quer mudar e nem pode?

 Uma coisa é fato, sem movimento, o amor morre. A paixão vira pó… E o movimento não significa mudança drástica. Às vezes é um pé aqui e outro ali. Uma dança livre. O amor é construção junto… Sem isso, nada feito.

Sobre mulherescalmas

Mulher. Por que não dividir informações que aprendi ao longo da vida sobre como cuidar de mim e da minha saúde?
Esta entrada foi publicada em Adoráveis mulheres. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s